flip
Edições anteriores
10h mesa 1 A cidade e o território
Antonio Risério e Eucanaã Ferraz

A cidade, o patrimônio cultural e a noção de território – marcadas pelo pensamento de Mário de Andrade – são os eixos da mesa de arquitetura da Flip, com dois ensaístas que põem em diálogo a arquitetura e a literatura brasileira.
12h mesa zé kleber Falando alemão
Deocleciano Moura Faião, Geovani Martins e Katjusch Hœ

As oficinas de poesia, fotografia e edição promovidas no Rio pelo Laboratório Setor X no Complexo do Alemão, na Rocinha e na Biblioteca Parque de Manguinhos revelaram artistas brasileiros onde menos apostamos na arte. Três deles se apresentam na mesa Zé Kleber, voltada às questões da vida em comunidade em Paraty (e em todo o Brasil), que homenageia o poeta, ativista, ator e agitador cultural paratiense Zé Kleber (1932-1989).
15h mesa 2 De micróbios e soldados
Diego Vecchio e Saša Stanišić

Dois destaques da ficção contemporânea levam a Paraty seus romances recém-lançados: o argentino Diego Vecchio, com sua bem-humorada mania de doenças, e o bósnio Saša Stanišić, que tematiza a guerra e as relações entre memória, história e literatura.
17h15 mesa 3 A poesia em 2015
Matilde Campilho e Mariano Marovatto

O oceano Atlântico não é propriamente um problema para a nova geração de poetas que, entre lá e cá, aponta as novas rotas da lírica de língua portuguesa.
19h30 mesa 4 Encontro com Colm Tóibín

O irlandês Colm Tóibín, que participou da Flip em 2004, volta a Paraty para um memorável encontro com o público.
21h30 mesa 5 Do angu ao Kaos
Jorge Mautner e Marcelino Freire

O músico tropicalista de "Maracatu atômico" e "Lágrimas negras" é também o autor de uma obra literária original, regida pelas forças do Kaos – neologismo que dá nome a seu inspirado romance de 1964. Em Paraty, Mautner vai se encontrar com o premiado escritor Marcelino Freire, de Angu de sangue e Nossos ossos, que volta à Tenda dos Autores após onze anos.


apoio

Itaú Cultural
English

  Realização
  Associação Casa Azul