flip
Edições anteriores
10h Mesa 1
Escritas da finitude
Altair Martins
André de Leones
Carlos de Brito e Mello

Mediação João Cezar de Castro Rocha

Três dos mais elogiados jovens escritores brasileiros se reúnem para conversar sobre uma questão comum a eles (e a todos nós). A morte que atravessa os livros de André de Leones, Altair Martins e Carlos de Brito e Mello não é, no entanto, apenas o fato impessoal e difuso à espreita de qualquer um. Pelo contrário, a consciência do fim é algo que se impõe a cada um, como destino individual e inevitável. Daí que escape a clichês fúnebres para se tornar inesperadamente uma força criativa – razão de questionamento existencial e motivo da própria escrita.
Tenda dos Autores
11h45 Mesa Zé Kleber
A leitura no espaço público
Silvia Castrillón
Alexandre Pimentel

Mediação Écio Salles

Desde 2009, a Flip promove um evento especial para discutir a cidade e suas políticas públicas: a Mesa Zé Kleber. Batizada em homenagem ao poeta, músico e importante ativista paratiense, nesta décima Flip a mesa promove um diálogo entre as experiências das bibliotecas-parque na Colômbia, onde elas foram criadas, e no Brasil. Ao criarem um novo ambiente em áreas desprovidas de investimentos públicos, elas cumprem a função igualmente importante de melhorar a estrutura urbana dos locais onde são instaladas. Para discutir o trinômio políticas públicas, cultura e território, receberemos a bibliotecária e educadora colombiana Silvia Castrillón, cujo trabalho foi fundamental na implantação do sistema nacional de bibliotecas públicas em seu país. Ao seu lado, estará Alexandre Pimentel, diretor da Biblioteca Parque de Manguinhos, na Zona Norte do Rio, projeto inaugural de bibliotecas nacionais que tem o modelo colombiano como referência.
Tenda dos Autores
15h Mesa 2
Apenas literatura
Enrique Vila Matas
Alejandro Zambra

Mediação Paulo Roberto Pires

Se tentarmos pensar o que a literatura tem de mais próprio, descontadas as funções educativas ou sociológicas que por vezes lhe atribuem, o que sobra como justificativa do ato às vezes compulsivo de escrita ou leitura? É sobre esse estranho “resto” que conversam o chileno Alejandro Zambra e o catalão Enrique Vila-Matas. Nos livros desses dois escritores, a literatura se dobra sobre si mesma, mas, ao invés de isolar-se, afirma por meio desse movimento reflexivo uma forma peculiar de abertura e hibridismo.
Tenda dos Autores
17h15 Mesa 3
Ficção e história
Javier Cercas
Juan Gabriel Vásquez

Mediação Ángel Gurría-Quintana

Ao se voltarem para episódios violentos do passado de seus países, os livros do espanhol Javier Cercas e do colombiano Juan Gabriel Vásquez lançam também uma interrogação crítica ao presente. A história não é aí algo encerrado, que o escritor se limita a registrar num balanço final, mas uma narrativa incompleta da qual a escrita toma parte justamente para mantê-la em aberto. A possibilidade renovada de se contar outra história invalida a uniformidade dos relatos habituais e impõe a tarefa de reavaliação do momento atual.
Tenda dos Autores
19h30 Mesa 4
Autoritarismo, passado e presente
Luiz Eduardo Soares
Fernando Gabeira

Mediação Zuenir Ventura

Processos do Ministério Público contra agentes do Estado acusados de tortura e a criação de uma Comissão da Verdade para investigar crimes e desaparecimentos ocorridos durante a ditadura fizeram com que a sociedade brasileira voltasse a discutir de maneira acirrada um passado que para muitos teria sido oficialmente superado com a promulgação da Lei da Anistia e a redemocratização. O autoritarismo em nosso país, no entanto, não começa em 1964 nem termina em 1985. Luiz Eduardo Soares e Fernando Gabeira discutem nossa tradição autoritária e o modo como ela se manifesta no presente.
Tenda dos Autores

apoio

English

  Realização
  Associação Casa Azul